Venâncio Calisto na França para uma peça e um Festival

Venâncio Calisto na França para uma peça e um Festival

Venâncio Calisto encontra-se na França, a estagiar como assistente de encenação no Odéon Thèatre d’lEurope, no âmbito da criação do espectáculo La Cerisaie de Anton Tchékhov, que integra a programação principal da 75ª edição do Festival de Avignon, a ter lugar entre 05 e 25 de Julho, deste ano.

Durante um período de dois meses e meio, o actor, encenador e dramaturgo moçambicano irá acompanhar o processo de criação deste espectáculo – co-produzido pelo Thèatre de l’Odéon e pelo Festival de Avignon – que conta com a encenação de Tiago Rodrigues, director do Teatro Nacional Dona Maria II, em Lisboa, e com um elenco em que se destaca a participação da actriz Isabel Huppert, uma das mais célebres actrizes do cinema francês e mundial.

La Cerisaie ou O Ginjal em português é uma das mais importantes peças de Tchékhov, mestre do drama moderno, apresentada pela primeira vez a 17 de Janeiro de 1904. "A actualidade de La Cerisaie, mais de século depois, representa a genialidade do dramaturgo russo, um dos primeiros da sua época a quebrar com as convecções da dramaturgia clássica e a fazer do palco teatral um lugar para repensar o quotidiano e dar voz às pessoas simples e explorar a poeticidade da linguagem de todos os dias", entende Calisto.

Venâncio Calisto (Maputo, Moçambique, 1993). É actor, encenador e escritor. Formou-se em Teatro pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade Eduardo Mondlane. Estreou-se na encenação, em 2015, com “Qual é a Sentença: a mulher que matou a diferença?”, espectáculo que, passados dois anos, levou ao festival Yesu Luso no Brasil. De sua autoria são também “A Crise” (2016) e “(Des)mascarado” (2018). Em 2018 foi distinguido com o Prémio de Artes e Cultura da Mozal, na Categoria de Teatro, e ficou em Primeiro Lugar num concurso de poesia promovido pelo Centro Cultural Moçambicano Alemão (CCMA). Reside em Portugal desde 2019, onde se encontra a frequentar o 2º ano do Mestrado em Teatro, especialização em Teatro e Comunidade na Escola Superior de Teatro e Cinema, Instituto Politécnico de Lisboa. Tem trabalhado como assistente de encenação em vários espectáculos. Foi assistente de encenação de Victor de Oliveira no espectáculo “Incêndios”, texto de WajdiMouawad, apresentado no Centro Cultural Franco Moçambicano – Maputo e na Culturgest – Lisboa, em 2019. E Integrou o elenco de “A Cidade dos Pássaros”, de Bernard Chartreux, e “A noite das Hienas”, a partir de textos de PiterWiess e José Craveirinha, ambos com encenação de Fernando Mora Ramos. Como actor integrou o elenco de “Simão na Antártida” peça gravada e produzida pela RTP em Portugal.  No mesmo ano dirigiu o espectáculo “O alguidar que chora ou a história das pedras que falam”, apresentado no contexto de uma residência no Teatro da Rainha, em Caldas da Rainha e publicado em livro, numa edição de autor. Essa obra marca a sua estreia em Portugal como encenador e autor.

LEIA TAMBÉM