Pintura, mosaico e fotografia em destaque no programa de Abril do CCMA

Pintura, mosaico e fotografia em destaque no programa de Abril do CCMA

Da continuidade a inaugurações ou mesmo oficinas de capacitação para artistas, o programa anunciado pelo Centro Cultural Moçambicano-Alemão (CCMA) chama atenção para a exposição de Aline Nobre, enquanto entram em acção novas actividades ainda relacionadas com as artes visuais, mas desta vez o mosaico numa oficina dirigida por Marcelino Manhula e uma exposição fotográfica guiando-nos para o actual cenário da (in)esquecida Praça de Touros.

 

Desde 15 de Março que o CCMA tem em destaque a exposição “Mulher, Cura, Alma” da artista plástica Aline Nobre.

Podendo ser vista até o dia 15 de Abril, de forma virtual devido as restrições relacionadas com a pandemia, o conjunto de 14 quadros de pintura em exposição vai além do cliché sobre a mulher e o feminismo. Aline procura nas suas telas de pintura em acrílico, com uma paleta de cores suave, deixar que o impacto seja encontrado na subjectividade, na insinuação, a forte mensagem que pretende transmitir, desde logo ritualidade do corpo e a aspereza do olhar. Mais do que explorar o belo na arte, transgredir, recorrendo muitas vezes a insinuações, mais do que afirmações, o que desafia-nos a um diálogo com a obra. O olhar, o colectivo, a desconstrução da ideia da obscenidade e até do proibitivo no corpo da mulher, expondo as partes íntimas, vai ser uma roptura com o conservadorismo. É a arte fazendo o seu caminho de problematizar e sugerir novas narrativas aos contextos sociais em que para lá da sua anatomia complexa, muito se esconde no imaginário das mulheres, seja pelas razões sociais, da sua inferiorização entre sexos ou dos traumas que guarda e que só com o olhar pode denunciar. Contudo, não se estará diante de um trabalho feminista.

Aline Nobre é pintora, escultora e artesã. Nasceu em Maputo em 1996.

 

Manhula partilha o “ofício” do mosaico

Como que a continuar a aposta nas artes plásticas, o CCMA coloca no seu programa de Abril mais um artista de destaque na actualidade em Moçambique. O artista plástico Marcelino Manhula que vai realizar uma oficina para capacitar jovens na “criação de murais artesanais de mosaico, explorando a sua criatividade e dando vida às suas vozes de forma a contribuir para a sociedade”. As inscrições para este workshop vão até 09 de Abril com formulário disponível nas redes sociais do CCMA. As actividades da oficina vão decorrer de 12 de Abril a 02 de Maio. Marcelino Manhula nasceu em Maputo em 1986 e formou-se na Escola Nacional de Artes visuais. Frequentou um curso de mosaico arquitetónico durante três anos na academia de artes de espíritos na África do Sul em 2012, tendo feito igualmente no mesmo ano um mestrado em mosaico na Irene Di spelimbergo, Itália.

 

“The Ghost of Praça de Touros”

Continua aberta a chamada para o concurso de fotografia sobre “educação em tempos de coronavírus”, onde os interessados que podem ser fotógrafos amadores ou profissionais, devem enviar até 10 fotografias que contem estórias relacionadas com a pandemia até o dia 18 de Abril, o destaque mesmo deverá ser para uma exposição que pode levar-nos à visitar um monstro adormecido, ou melhor, envelhecido e quase esquecido. Trata-se da exposição “The Ghost of Praça de Touros” em que Bocarras Hunguana leva-nos a emblemática – já lá vão os tempos – Praça de Touros, na cidade de Maputo, no cenário que se encontra nos dias de hoje. O sociólogo Filimone Meigos é quem chama atenção para importância da série de fotografias que “não só captura o tempo, como sitia e o isola numa espécie de atomismo que se enclausura nos tempos de hoje”. A exposição é uma parceria entre o CCMA e o CCFM (Centro Cultural Franco-Moçambicano) e inaugura a 20 de Abril.   

 

LEIA TAMBÉM