Lucrécia Paco leva-nos “Na Mão de Deus” hoje no CCFM

Lucrécia Paco leva-nos “Na Mão de Deus” hoje no CCFM

Depois de “Niketche”, Lucrécia Paco regressa a Paulina Chiziane para levar ao palco “Na Mão de Deus”. O espectáculo, que está marcado esta sexta-feira no Centro Cultural Franco-Moçambicano, nos coloca a experimentar o terreno movediço entre a alucinação e o espiritismo, com os dois pés nos desconfortáveis sapatos do outro.

 

Os bancos da sala grande do Centro Cultural Franco-Moçambicanos estão já marcados com autocolantes amarelos e pretos, a marcar onde se deve sentar, a respeitar o distanciamento destes tempos pandémicos, mas que a arte continua a ser necessária.

 

 “Nas Mãos de Deus”, dirigido por Lucrécia Paco, é a proposta deste início de noite. Não se pode falar de uma estreia absoluta, afinal uma parte já havia sido apresentada no Município de Maputo em homenagem a Paulina Chiziane, mas esta é uma nova versão, mas estendida, mais elaborada e com maiores referências.

 

Há uma pintura impressa de Idasse Tembe a fazer de fundo, o nome do quadro é mesmo “Nas Mãos de Deus”, entre duas torres feitas de palha, que combinam com outros tantos objectos feitos de palha colocados em palco como uma espécie de instalação. Introduz-se, assim, as Artes Plásticas, num espectáculo que já se fazia com Dança e Música (com batuque, com timbila, com piano, com xithende e gaita). Para trás, o espectáculo na forma, no conteúdo o texto traz a luz as reflexões que Paulina Chiziane e Maria do Carmo Silva sugeriam no seu texto.

 

Este espectáculo marca o regresso de Lucrécia Paco a Paulina Chiziane. Em 2007, já havia feito Niketche.

 

Na Mão de Deus foi um texto que li numa sentada e a medida que lia via personagens ganhando vida em cena”. Os personagens ganharam corpo em Angelina Chavango e Eunice Manjate. Angelina Chavango faz o papel de Alice, uma mulher bem-nascida que de repente se vê acometida por alucinações. Eunice Manjate faz-lhe a irmã, mas se multiplica em várias outras personagens: espírita, curandeiro, mãe…

A loucura, o paranormal, a mediunidade são objectos de reflexão neste espectáculo. “O texto permite uma imersão para esta dimensão do oculto, do não falado, do tabu que permeia tudo quanto está a nível do indivíduo em estado de convalescença”, disse-nos Lucrécia Paco em breve conversa.

 

O espectáculo coloca o espectador nesta fronteira entre a alucinação e o espiritismo. “Na Mão de Deus permite resgatar esse lugar da claridade, do esclarecimento, ao mesmo tempo de reflexões, encontros e crenças, é o lugar do Humano em sua Totalidade” dá as pistas Paco.

 

No palco, para além de Angelina Chavango e Eunice Mandlate, estarão Fermina da Neta, Celso Durão, Cristalino Manjate e Grande Homem.

LEIA TAMBÉM